O encontro de Van Gogh e Munch em Amsterdam

Van Gogh e Munch

Esqueda: Vincent van Gogh, Autoretrato como um Pintor, 1887-1888. Van Gogh Museum, Amsterdam. (Vincent van Gogh Foundation). Direita: Edvard Munch, Autorretrato com Paleta, 1926. Coleção Particular.

O holandês Vincent Van Gogh (1853-1890) viveu uma vida breve, mas muito produtiva. Pós-impressionista, cujo trabalho influenciou o movimento modernista, o artista é considerado um ícone das artes na Holanda e um dos maiores pintores em todos os tempos. Já o norueguês Edvard Munch (1863-1944) é reconhecido por muitos estudiosos das artes como um dos precursores do expressionismo na Alemanha, onde viveu seu período mais criativo.

Apesar da diferença de dez anos, eles decidiram ser artistas no mesmo ano, em 1880 – Van Gogh se matriculou na Académie Royale des Beaux-Arts, em Bruxelas, Bélgica; e Munch na Royal School of Art and Design in Kristiania (atual Oslo). Ambos foram influenciados por movimentos como o naturalismo, o impressionismo e o pós-impressionismo. Tinham em comum uma grande admiração por Monent, quem julgavam ser o principal nome da nova pintura. Viveram em Paris, na busca de novas inspirações na vibrante cena cultural da cidade. Os dois se entregaram totalmente à arte, e o curso de difícil de suas vindas tiveram desfechos trágicos.

Ainda que pertencentes a movimentos diferentes, os contemporâneos Van Gogh e Munch revelam em suas telas muitas similaridades – são coloridas, de pinceladas intensas e retratam a vida de forma muito expressiva. Não seria surpresa se nos contassem que os dois foram amigos e compartilharam das mesmas ideias ao compor seus trabalhos. O fato, porém, é que eles nunca se conheceram – até agora. Pela primeira vez na história, o Van Gogh Museum, em Amsterdam, promove o encontro dos dois artistas na mostra Munch: Van Gogh.

Com mais de 100 trabalhos, entre pinturas e obra sobre papel, a exposição traça esse paralelo entre a vida dos dois pintores, colocando lado a lado, literalmente, algumas de suas principais obras-primas. Assim, vemos a continuação da Noite Estrelada Sobre o Rhône de Van Gogh pela Noite Estrelada de Munch. Ou, ainda, todo o desespero d’O Grito sendo complementado pela emblemática Ponte de Trinquetaille.

Esqueda: Vincent van Gogh, Noite Estrelada sobre Rhône, 1888. Musée d’Orsay, Paris. Direita: Edvard Munch, Noite Estrelada, 1922. Munch Museum, Oslo.

Esqueda: Vincent van Gogh, Noite Estrelada sobre Rhône, 1888. Musée d’Orsay, Paris. Direita: Edvard Munch, Noite Estrelada, 1922. Munch Museum, Oslo.

 

Munch Van Gogh

Esquerda: Edvard Munch, O Grito, 1893. Munch Museum, Oslo. Direita: Vincent van Gogh, A Ponte Trinquetaille, 1888. Coleção Particular.

A exposição ainda reúne obras raras que dificilmente são emprestadas, como A Criança Doente e uma versão de Madonna de Munch; e O Camponês, de Van Gogh. Munch: Van Gogh fica em cartaz até 17 de janeiro de 2016,  e é uma oportunidade única de ver os trabalhos desses dois artistas que ainda hoje inspiram pessoas pelo mundo todo.

Informações: Van Gogh Museum Paulus Potterstraat 7. Amsterdam. www.vangoghmuseum.nl. Abre diariamente 9h-17h (fecha 22h às sextas).

Para mais informações sobre viagens envie um e-mail para info@teresaperez.com.br ou ligue 11 3799-400.0 | 61 3217-2300 | 31 3131-3000.

Comments

Acho esta mostra imperdível! Por favor, gostaria de receber detalhes por email. Obrigada.

posted by Cleide M Burato on 10.22.15 at 8:09

Leave a comment

Subscribe Scroll to Top
Visit Us On FacebookVisit Us On TwitterVisit Us On YoutubeVisit Us On PinterestCheck Our Feed